Feeds:
Posts
Comentários

ou eu estou muito da marica ou talvez apenas saudosa mas sempre que revejo fotos desse Natal despretensioso de 2012 meu corazón fica quentinho. e é bom demais ter o corazón quentinho.

IMG-20150408-WA0028

o ásana traidor.

daí que você se acha toda trabalhada no yoga, quando surge uma caralhada dessa para você treinar o desapego à vaidade e ao ego.

CAM00293

a de branco não sou eu, infelizmente. é Dany linda e maravilhos Sá.

CAM00294

vai bosta!

IMG-20130214-WA0000

índia. super-heroína. carnaval. fortim. olinda. pé sujo. banheiro (quase) público. saudade da idiota.

Ter disciplina até que pode ser fácil, o grande problema é mantê-la: na vida conjugal, laboral, fraternal, a disciplina se cultiva dia difícil após dia difícil, se mantém forte dia fácil após dia fácil. A teoria é simples e, em geral, é a mesma para os diversos setores de nossa vida em que a disciplina é mais do desejada, porém na prática de um yogue, o buraco é mais embaixo, quase um ásana da série avançada D do Ashtanga.

Para o praticante, não basta apenas a assiduidade e compromisso de praticar diariamente mas também coloque aí no bolo uma alimentação saudável e equilibrada; uma boa disposição para enfrentar as intempéries orgânicas, como TPM ou cólicas menstruais; um belo escudo contra a preguiça e a amofinação e a manutenção de uma devoção apaixonada num dia de prática em plena segundona.

A conclusão é: muito difícil, cara. Ainda mais se considerarmos que somos humanos e não Iyengarzinhos que se esticam por aí. Somos mortais que se alegram com um carnaval vindouro ou com um filme bonito. Somos sozinhos na busca constante de se aperfeiçoar, não contamos com a ajuda de seu ninguém. Somos fruto de nossa exclusiva dedicação ou desídia. Somos responsáveis pelo que conseguimos ou não em tudo nesta fucking life.

Ontem eu perdi meu laghu vajrasana. Minha culpa.

Iyengar no laghu vajrasana

Iyengar no laghu vajrasana

Feliz dia do umbigo.

então que você deve saber, cara, que o mundo não gira ao seu redor.

ninguém dá um pé na sua bunda para logo em seguida ficar com outra, felizes e fagueiros, com  o intuito de te “atingir”; tu não carrega o Judiciário nas costas; os seus tweets não são os mais engraçados.

na boa, a pessoa que logo se deu bem após um relacionamento findo só quer ser feliz. nada mais justo.

e, cara, você é apenas mais um peão nesse jogo de xadrez que é essa invenção humana do capeta que se chama trabalho.

só te favoritaram 1 (um) tuíte.

esse post foi quase como a Cracolândia: realidade nua e crua.

e assim espero ser de vez. não espere você encontrar posts geniais e/ou confessionais, apaixonados e/ou banzentos, trágicos e/ou engraçados.

a minha ideia (putz, chegou 2013 já e eu tenho que escrever ideia sem acento) é só uma tentativa de me auto-alegrar (no acordo ortográfico, tem esse hífen ou não?) todo santo dia. daí eu me pergunto o que me alegra? bom, além de vídeos de gatinhos fazendo graça no youtube, eu te diria seguramente que o yoga. sim, é o yoga e quase tudo que vem com ele.

nhénhénhéins à parte, apenas informo que este diário passará por uma reforma temática. na verdade, até pensei em abrir uma conta no Pinterest mas cara, aí seria mais uma senha pra decorar e acabei desistindo. Tá, não só colocarei fotos de ásanas ou de gatinhos fofuchos fazendo traquinagem, posso também colocar fotos do Homem da Meia Noite, vídeos de pastas árabes fáceis de se fazer, fotos das minhas unhas feitas pintadas com o HaHaHa da Colorama.

ou seja, aguardem.

começo hoje com a foto de nada mais nada menos que o Sr. B.K.S.Iyengar fazendo um Vrschikasanazinho de leve.

Vrschikasana

Vrschikasana

bom, segundo o próprio Iyengar, em seu livro Light on Yoga, esta postura do escorpião (para os que não falam sânscrito como eu, é sempre bom lembrar o nome popular das posturas as quais normalmente fazem referência a um animal, planta ou algum deus daquelas bandas) além de extremamente benéfica para o corpo (pô, pulmões expandidos, abdômen esticado e coluna altamente flexível, bebê), ela é um prato cheio para combater as emoções e paixões auto-destruidoras (esse hífen tá me perseguindo, vou tentar ficar tranquila sem trema), desenvolver a humildade, a calma e tolerância e assim livrar-se do ego. assim concluo que: quero mais o quê, cara?

eis aí a minha meta para novembro de 2013: flexível e humilde.

sente-se (irremediavelmente) conectada a uma pessoa? mesmo sem se verem, se saberem ou se sentirem?